Taiwan precisa se preparar para confronto militar com a China, diz ministro de Relações Exteriores do país | Mundo

Taiwan precisa se preparar para confronto militar com a China, diz ministro de Relações Exteriores do país | Mundo

Taiwan precisa se preparar para um confronto militar com a China, afirmou nesta quinta-feira (24) o ministro de Relações Exteriores da ilha, Joseph Wu.

“Como as pessoas responsáveis por tomar decisões em Taiwan, precisamos estar preparados, não podemos nos arriscar”, disse Wu. Para os taiwaneses, a China tem tentando intimidá-los —os chineses fazem exercícios militares perto de Taiwan com frequência, na última semana, 28 aviões de guerra sobrevoaram uma região próxima da ilha.

“Quando o governo chinês diz que eles não vão renunciar o uso da força e passa a conduzir exercícios militares perto de Taiwan, nós iremos acreditar que isso é real”, disse Wu. Ele deu a declaração em uma entrevista à CNN.

Veja uma reportagem de 2019 sobre os desentendimentos entre a China e os EUA por causa de Taiwan.

China pede que EUA não interfiram em relações com Taiwan
China pede que EUA não interfiram em relações com Taiwan

China pede que EUA não interfiram em relações com Taiwan

Em outras ocasiões, Wu já afirmou que, se Taiwan for atacada, iria lutar até o último dia.

Mapa mostra a localização de Taiwan e da China — Foto: G1

O governo da China respondeu —o responsável pelas relações com Taiwan, Zhu Fenglian, disse que os chineses iriam tomar as medidas necessárias para puní-lo de acordo com a lei.

Na entrevista desta quinta-feira, Wu afirmou que se sente honrado ao ser alvo dos chineses: “O autoritarismo não pode tolerar a verdade, não estou preocupado se eles continuarem a dizer que querem me perseguir pelo resto da minha vida”.

Na quarta-feira (24), a China acusou os Estados Unidos de serem os maiores “criadores de risco” de segurança da região depois que um navio de guerra norte-americano atravessou a rota marítima sensível que separa Taiwan da China.

A Sétima Frota da Marinha dos EUA disse que o USS Curtis Wilbur, contratorpedeiro antimísseis teleguiados da classe Arleigh Burke, realizou uma “travessia de rotina pelo Estreito de Taiwan” de acordo com a lei internacional na terça-feira.

“O trânsito do navio pelo Estreito de Taiwan demonstra o compromisso dos EUA com um Indo-Pacífico livre e aberto.”

O Comando do Teatro Leste do Exército de Libertação Popular disse que suas forças monitoraram a embarcação durante sua passagem e a alertaram.

“O lado dos EUA está usando os mesmo truques de sempre intencionalmente e criando confusão e transtornando as coisas no Estreito de Taiwan”, disse.

Isto “demonstra plenamente que os Estados Unidos são os maiores criadores de risco para a segurança regional, e nos opomos resolutamente a isto”.

O Ministério da Defesa de Taiwan disse que o navio rumou para o norte pelo estreito e que a “situação está normal”.

O mesmo navio cruzou o estreito um mês atrás, levando a China a acusar os EUA de ameaçarem a paz e a estabilidade.

A missão mais recente ocorre cerca de uma semana depois de Taiwan dizer que 28 aeronaves da Força Aérea chinesa entraram em sua zona de identificação de defesa aérea, a maior incursão já relatada.

Veja os vídeos mais assistidos do G1

Compartilhe

Comente

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .