Presidente da Ucrânia diz que quer se encontrar com Putin em região disputada no leste ucraniano | Mundo

Presidente da Ucrânia diz que quer se encontrar com Putin em região disputada no leste ucraniano | Mundo

Em discurso, Zelensky afirmou que quer evitar guerras que causem a morte de milhões de pessoas, mas alertou que a Ucrânia estará preparada para um possível conflito. A Rússia tem descartado a hipótese de um confronto armado com o vizinho.

Saiba mais sobre a tensão entre Rússia e Ucrânia no VÍDEO abaixo

Aumenta tensão entre Rússia e Ucrânia após exercícios militares

Aumenta tensão entre Rússia e Ucrânia após exercícios militares


“A Ucrânia quer uma guerra? Não. E está preparada para ela? Sim. Não temos medo, já que temos um exército incrível”, afirmou o chefe de Estado ucraniano. “Não destruiremos as outras terras e povos. Mas isto não significa que permitamos que nos destruam”, acrescentou.

Após uma trégua respeitada durante o segundo semestre de 2020, as hostilidades entre o exército ucraniano e as forças separatistas do Donbass — que têm o apoio econômico e militar da Rússia — recomeçaram no início deste ano.

Militares da Ucrânia participam de treinamento no leste do país nesta terça-feira (20) — Foto: Press service of Joint Forces Operation/Handout via Reuters

Zelensky já havia dito em várias ocasiões que propunha se reunir com Putin desde o final de março, mas a Rússia informou que não havia recebido tal pedido.

O governo ucraniano também solicitou na última sexta-feira a organização de uma cúpula entre Ucrânia, Rússia, França e Alemanha.

Treinamento militar das forças ucranianas no leste da Ucrânia em foto divulgada nesta terça (20) — Foto: Press service of Joint Forces Operation/Handout via Reuters

As tensões continuam perto da fronteira entre Rússia e Ucrânia, para onde Moscou enviou dezenas de milhares de soldados. Essa ação militar levantou temores do governo ucraniano, apoiado pela União Europeia, pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e pelos Estados Unidos, sobre uma possível operação militar russa.

Os aliados da ucrânia no Ocidente alegam que a Rússia enviou até 100 mil soldados em uma ação “sem precedentes”.

Com isso, os civis que vivem perto da linha de combate não escondem o medo de uma retomada massiva dos combates. Assim, muitos deles estão deixando a área.

“Esta manhã houve novamente tiros muito intensos”, lamentou Iulia Ievtchenko à agência France Presse. Mãe de quatro filhos, ela mora na pequena cidade de Krasnogorivka, protegida pelo exército ucraniano, e seu apartamento fica em um prédio bastante danificado pelos bombardeios.

Imagem de satélite de 10 de abril mostra área de treinamento militar da Rússia perto de Voronezh — Foto: Maxar Technologies/Handout via Reuters

“Houve uma trégua, mas agora estamos em guerra de novo”, explicou esta mulher de 27 anos, que carregava no colo um de seus filhos, de um ano e meio.

“Vejo como todos aqueles tanques e carros blindados russos estão disparando. Estamos com medo” e “não temos para onde ir”, afirmou.

A Ucrânia acusa a Rússia de procurar um pretexto para invadir seu território. O governo russo, por outro lado, tem afirmado que “não ameaça ninguém” e que, ao contrário, é o lado ucraniano quem tem dado provocações.

A guerra no leste da Ucrânia deixou mais de 13 mil mortos em 2014, cujo início ocorreu dias depois da anexação russa da península da Crimeia.

Compartilhe

Comente

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .