Gestores apostam no turismo regional durante retomada

Gestores apostam no turismo regional durante retomada

Praticamente paralisado por conta das medidas de isolamento social impostas pela pandemia de Covid-19, o setor turístico baiano avança gradualmente para recuperar seu papel na economia de Salvador e outros municípios. Comemorando hoje o Dia Mundial do Turismo, entidades e gestores da área apostam em progresso contínuo até o final do ano e destacam a tendência ao turismo regional, com viagens de carro.

Na avaliação do secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, a movimentação registrada no feriadão de 7 de setembro foi animadora, com a maior parte dos polos turísticos do estado voltando a receber visitantes, mesmo que com capacidade reduzida em muitas redes de hospedagem. A exceção ficou na região da Chapada Diamantina, onde alguns gestores preferiram deixar a retomada para outubro.

Franco conta que antes da pandemia, cerca de 40% do fluxo turístico na Bahia era regional e a tendência é de ampliação desse grupo, que viaja dentro do estado ou vem de estados próximos. Os principais motivos seriam a percepção da população de maior segurança contra o coronavírus em viagens de carro e a limitação da malha aérea, citando que cidades como Paulo Afonso e Lençóis sequer estão recebendo voos comerciais.

O secretário informa que conforme sinalizado pelas companhias aéreas, até dezembro o volume de voos comerciais para a Bahia deve chegar a 50% do habitual para o período. De acordo com a Salvador Bahia Airport, gestora do aeroporto da capital baiana, atualmente são recebidos 34% dos voos registrados em setembro do ano passado e a perspectiva é de “crescimento sólido nos próximos meses”.

“Estamos no início de uma retomada, que tem de ser gradual e tem de respeitar todos os cuidados de combate à pandemia”, declarou o secretário de Cultura e Turismo de Salvador, Pablo Barrozo. Ele conta que atualmente, a cidade tem cerca de 80% dos hotéis e pousadas em funcionamento, além de bares, restaurantes, a maioria das praias, e pontos turísticos como o Mercado Modelo e o Elevador Lacerda.

Motivação

Considerando que 59% dos turistas que visitam Salvador buscam seus atrativos naturais, Barrozo acredita que a reabertura das praias durante a semana – exceto Porto da Barra, Paciência e Buracão – servirá de fomento ao setor. De acordo com ele, entre janeiro e agosto deste ano, a cidade recebeu 43% dos 6,5 milhões de turistas registrados no mesmo período do ano passado, mas, no Centro Histórico e algumas praias, é possível notar aumento do fluxo.

“Se os números (da Covid-19) seguirem positivos, faremos campanha para incentivar o turismo na capital para o soteropolitano”, diz o secretário. Uma ação de conscientização, com lançamento previsto para hoje, pretende mostrar os protocolos que os turistas precisam seguir na cidade, de forma leve, quebrando a aridez do tema para gerar esperança e conforto.

Relacionado ao turismo de negócios e eventos, o Centro de Convenções Salvador inicia a retomada este mês. Segundo a GL Events, que administra o espaço, no dia 27 será realizada a entrega do Top of Mind 2020, respeitando o limite de 100 pessoas estabelecido por decreto estadual. Além disso, o Centro já está com o Drive-in em funcionamento.

Confiança

Presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis na Bahia (ABIH-BA), Luciano Lopes diz que o 7 de Setembro gerou a sensação de que a recuperação pode ser mais rápida. “Claro que depende da curva de contaminação, mas a gente percebe uma evolução mês a mês e acredita que vai chegar no verão com bom movimento”, reforça.

Lopes estima que até o final do ano, o faturamento esteja entre 35% e 40% do normal no período, ainda insuficiente diante do elevado custo fixo dos hotéis. Mesmo sem conseguir cobrir os custos, ele acha importante ampliar o número de hotéis abertos, para fomentar o turismo e não haver perda de mercado. A estimativa é que cerca de 50% dos hotéis do estado estão funcionando atualmente.

Ele relata expectativa de muitas viagens para o feriadão de 12/10, mas o tempo de decisão característico deste momento impede ser mais preciso. Em cenários normais, as vendas estariam praticamente fechadas, enquanto na pandemia, as pessoas esperam para verificar como estará a curva de contaminação, a disponibilidade efetiva de voos e o acesso a atrativos, entre outros fatores.

A presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagem na Bahia (Abav-BA), Ângela Carvalho crê na retomada de 50% da operação habitual até o final do ano .Para ela, a hora é de recuperação de confiança dos clientes para viajar e as agências precisam mostrar que estão preparadas para seguir os protocolos.

Ângela conta que a Abav fez uma campanha para evitar cancelamento dos pacotes de viagens e similares, resultando numa proporção reduzida de reembolsos. Desta forma, a maioria das vendas pré-pandemia foi mantida para remarcação da viagem ou transformada em crédito.



Compartilhe

Comente

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!

Instagram

Instagram has returned empty data. Please authorize your Instagram account in the plugin settings .