Após Papa se recusar a receber Mike Pompeo, americano tem encontro com o número dois do Vaticano | Mundo

Após Papa se recusar a receber Mike Pompeo, americano tem encontro com o número dois do Vaticano | Mundo

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, foi recebido nesta quinta-feira (1) no Vaticano pelo número dois da Igreja, o cardeal Pietro Parolin, e o secretário para Relações com os Estados, monsenhor Paul Gallagher.

Na quarta-feira, o Vaticano negou um pedido de Pompeo de uma audiência com o Papa Francisco. O americano foi acusado de tentar arrastar a Igreja Católica para o debate presidencial dos EUA.

Papa se nega a receber o secretário de estado norte-americano, Mike Pompeo, no Vaticano

Papa se nega a receber o secretário de estado norte-americano, Mike Pompeo, no Vaticano

Parolin, número dois do Vaticano, disse na quarta-feira que o Papa já deixou claro que não recebe figuras políticas de países que estão em processo eleitoral.

Em um artigo e em textos nas redes sociais, Pompeo afirmou que a Igreja pode perder sua autoridade moral ao renovar um acordo com a China a respeito da nomeação de bispos.

Reunião ’em clima cordial e de respeito’

Durante a reunião desta quinta-feira, que aconteceu em um clima “cordial e de respeito”, os dois lados abordaram o tema da China e alguns conflitos que afetam o mundo, informou o Vaticano em um comunicado.

Pompeo conversou com os bispos durante 45 minutos.

“As partes apresentaram suas respectivas posições sobre as relações com a República Popular da China em um ambiente de respeito, relaxado e cordial. Também falaram sobre algumas zonas de conflito e crises, em particular o Cáucaso, o Oriente Médio e o Mediterrâneo oriental”, afirma a nota do Vaticano.

Entenda o acordo entre o Vaticano e a China

Em setembro de 2018, a Santa Sé e a China assinaram um acordo provisório sobre a nomeação de bispos no país oriental.

Há décadas, há duas entidades que representam a Igreja na China: a “patriótica” (controlada pelo regime comunista) e uma chamada Igreja “clandestina”, que reconhece o autoridade do papa –muitas vezes, essa última é perseguida pelo governo.

Em todo o mundo, é o papa quem decide sobre a nomeação dos bispos, homens que ele mesmo conhece ou que lhe são recomendados pelas conferências episcopais nacionais.

O conteúdo exato do acordo entre o Vaticano e a China nunca foi tornado público, mas na época da assinatura o Papa Francisco reconheceu imediatamente oito bispos chineses que haviam sido nomeados por Pequim sem sua aprovação.

Recentemente, o Vaticano prorrogou o acordo com a China. Foi por causa disso que Mike Pompeo criticou a Igreja.


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!