Prejuízo de furtos de cobre alcança R$ 280 mil só este ano

Prejuízo de furtos de cobre alcança R$ 280 mil só este ano

Material que desperta a cobiça de criminosos pelo valor alto na venda (entre R$ 17 e R$ 25, o quilo, a depender de onde seja comprado, em cooperativas ou na indústria de reaproveitamento), o cobre utilizado em instalações elétricas de redes públicas tem sido alvo de furtos em Salvador. De acordo com dados da prefeitura, entre janeiro e agosto deste ano, os furtos de equipamentos de iluminação pública – com o cobre como maior chamariz– geraram um prejuízo aos cofres públicos estimado em cerca de R$ 280 mil.

E foi justamente com essa finalidade que um grupo de criminosos causou sérios transtornos no bairro do Santo Antônio Além do Carmo. O fato ocorreu na manhã do último domingo, 27, quando cerca de dez homens com uniformes de operários e munidos de equipamento pesado escavaram a rua principal e efetuaram roubo do produto.

Contando com o auxílio de guardadores de carro, eles se aproveitaram de obras em realização no local há mais de 7 meses para ludibriar os moradores. De acordo coma Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), os danos atingiram 60 metros de extensão, na rua Direita, que já estava pavimentada. “Eles não costumam trabalhar aos domingos. Eu presenciei porque a minha mãe veio me visitar e eu não estava podendo passar. Achei estranho, mas não desconfiei”, relatou a moradora Sandra Pinho.

Para o cineasta e diretor do Espaço Itaú de Cinema (Glauber Rocha), Cláudio Marques, os suspeitos chegaram, às 8h30, com uma retroescavadeira. “Eles chegaram sem informar nada, da mesma maneira como o governo. A Conder e a Pejota começaram a obra sem apresentar ou discutir nada com a gente. Até hoje não sabemos o que está acontecendo no bairro. Quando fui protestar, conversei comum suposto encarregado e ele foi muito simpático, afirmou que era para acelerar a obra e, inclusive, ligou para alguém que seria o supervisor”, comentou Marques.

As principais ocorrências desse gênero ocorrem em passarelas, fontes luminosas, viadutos e praças. Segundo a Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), visando evitar problemas com furtos e diminuir a incidência de apagões, a diretoria de iluminação pública tem feito intervenções. Cerca de 1.500metros da fiação foram rebaixados e a infraestrutura subterrânea será concretada com mais de 80 cm de profundidade.

*Sob supervisão da editora Meire Oliveira




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!