Desembargadora e filho cumprem prisão domiciliar com uso de tornozeleiras eletrônicas

Desembargadora e filho cumprem prisão domiciliar com uso de tornozeleiras eletrônicas

Já estão em casa, onde cumprem prisão domiciliar, a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia, Sandra Inês Rusciolelli, e Vasco Rusciolelli, filho de Sandra Inês. A determinação foi do ministro Og Fernandes, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A desembargadora e o filho foram presos na 5ª fase da Operação Faroeste, que investiga um esquema de venda de decisões judiciais com o objetivo de grilagem de terras no interior da Bahia.

Pela necessidade de manter a imposição da prisão preventiva, a cada 90 dias, o novo dispositivo do Código de Processo Penal (CPP) determina uma revisão. Por isso, foi tomada a decisão de conceder a prisão domiciliar, com uso de tornozeleiras eletrônicas.

A desembargadora estava presa no Presídio da Papuda, em Brasília. Já o filho, Vasco Rusciolelli, estava detido no Centro de Observação Penal (COP), do Complexo Penitenciário Lemos Britto, no bairro da Mata Escura, aqui em Salvador.

No momento da prisão de Sandra Inês, em março deste ano, a Polícia Federal encontrou R$ 250 mil na casa da magistrada. Em delação realizada em julho deste ano, Vasco Rusciolelli citou o nome de 12 outros desembargadores supostamente envolvidos no esquema criminoso.

Em abril deste ano, Sandra Inês foi exonerada do cargo de Supervisora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos (Nupemec), sendo que a decisão só era válida para o cargo do Nupemec. Ainda que afastada das funções, Sandra continua como desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia.

Na quinta fase da Operação Faroeste realizada no último dia 24 de março, a Polícia Federal chegou a cumprir 11 mandados expedidos, sendo três deles de prisão temporária e mais oito mandados de busca e apreensão.




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!