Você viu? Recorde de queimadas, ‘índio e caboclo’ de Bolsonaro, Mandetta e mais da semana | Mundo

Você viu? Recorde de queimadas, ‘índio e caboclo’ de Bolsonaro, Mandetta e mais da semana | Mundo

A semana foi marcada por um triste recorde de queimadas na mata brasileira e por um discurso transmitido para todo mundo – e muito criticado por vários segmentos – em que Jair Bolsonaro culpou “índio e caboclo” pelo fogo. O filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, foi convocado a participar de uma acareação com o empresário Paulo Marinho, sobre o suposto vazamento da Operação Furna da Onça, mas ele não apareceu. Quem reapareceu foi o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, que falou sobre uma inesperada reação do presidente ao ser alertado que o novo coronavírus poderia matar centenas de milhares de brasileiros. E o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) antecipou sua aposentadoria.

Recorde histórico de queimadas

Meses com mais focos de incêndio no Pantanal, 1998-2020

Fonte: Inpe

Os satélites registraram o que já estávamos vendo diariamente no Pantanal. Recorde histórico de queimadas registrou o número mensal mais alto de focos de incêndio desde o início da série do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em 1998. Foram 6.048 pontos de queimadas registrados no bioma desde o dia 1º de setembro. O recorde mensal anterior era de agosto de 2005, quando houve 5.993 focos de incêndio no bioma.

Em comparação a 2019, quando setembro teve 2.887 focos detectados em 30 dias, o mesmo mês de 2020 já apresenta uma alta de 109%. O número de focos neste mês está 211% acima da média histórica do Inpe para setembro, que é de 1.944 pontos de incêndio.

Incêndios começaram em fazendas

Incêndios que destruíram 117 mil hectares do Pantanal começaram em 5 fazendas de MT, diz ICV — Foto: ICV

Um estudo do Instituto Centro de Vida (ICV) mostra que os incêndios que destruíram 117 mil hectares no Pantanal de Mato Grosso começaram em cinco fazendas localizadas em Poconé, a 104 km de Cuiabá. Com 3.126 km², o município respondeu por 18% de toda a área atingida pelo fogo no estado até agosto deste ano.

Segundo o Inpe, já são mais de 1,74 milhão de hectares queimados só em Mato Grosso até o dia 13 de setembro.

E o Jornal Nacional mostrou que o fogo é traiçoeiro e volta, algumas vezes, na mesma área: é o chamado fogo subterrâneo. Veja no vídeo abaixo:

Fogo subterrâneo dificulta o combate às chamas no Pantanal

Fogo subterrâneo dificulta o combate às chamas no Pantanal

Culpa de índio e caboclo?

Em discurso na ONU, Bolsonaro diz que índios e caboclos promovem queimadas

Em discurso na ONU, Bolsonaro diz que índios e caboclos promovem queimadas

Jair Bolsonaro, porém, tem uma visão diferente sobre esses incêndios. Em discurso online par a ONU, ele disse para o mundo todo que o Pantanal queima sozinho e que o Brasil é “vítima de brutal campanha de desinformação” sobre Amazônia e Pantanal. O presidente afirmou que “floresta amazônica não pega fogo no interior, só nas bordas, porque é úmida”, e quem coloca fogo nos arredores são o “índio e o caboclo” reveja a fala no vídeo acima.

A equipe do Fato ou Fake checou as principais declarações de Bolsonaro, que foram muito criticadas, sobre as queimadas no país. Clique aqui e leia.

O presidente foi internado na sexta-feira (25), para uma cirurgia de retirada de uma pedra na bexiga. Ele passa bem, segundo os médicos.

Flávio Bolsonaro não comparece à acareação com o empresário Paulo Marinho

Flávio Bolsonaro não comparece à acareação com o empresário Paulo Marinho

O filho do presidente, o senador Flávio Bolsonaro, foi convocado a participar de uma acareação no Ministério Público Federal do Rio com o empresário Paulo Marinho, sobre o suposto vazamento da Operação Furna da Onça, em 2018. Suspeita-se que ele recebeu antecipadamente informações sobre a operação policial.

Flávio, no entanto, não apareceu. Em nota, informou que a “ausência se deveu a compromissos da sua agenda oficial, no Amazonas. O senador participou de um programa de TV em Manaus: dançou e cantou música sobre maconheiros. Depois, foi sem máscara visitar indígenas. O encontro sem proteção contra Covid-19 foi visto como “irresponsabilidade” por lideranças indígenas.

Em meio à pandemia, comitiva do Governo Federal posa ao lado de indígenas sem máscaras. — Foto: Reprodução / Redes Sociais

Mandetta no ‘Conversa com Bail’

Henrique Mandetta revela que previa 180 mil mortos desde o início da pandemia

Henrique Mandetta revela que previa 180 mil mortos desde o início da pandemia

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta afirmou em entrevista ao programa “Conversa com Bial” que, enquanto estava no governo, mostrou ao presidente Jair Bolsonaro a possibilidade de que o novo coronavírus matasse centenas de milhares de pessoas no Brasil. A entrevista foi ao ar na quinta-feira (24), véspera do lançamento do livro “Um paciente chamado Brasil: os bastidores da luta contra o coronavírus”.

“Eu nunca falei em público que eu trabalhava com 180 mil óbitos se nós não interviéssemos, mas para ele eu mostrei. Entreguei por escrito, para que ele pudesse saber a responsabilidade dos caminhos que ele fosse optar. Então, foi realmente uma reação bem negacionista e bem raivosa”, disse Mandetta.

O ministro Celso de Mello durante sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) — Foto: Rosinei Coutinho / SCO / STF

E o ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), afirmou à TV Globo que decidiu antecipar sua aposentadoria para o dia 13 de outubro por “razões estritas e supervenientes de ordem médica”.

Esse foi o bilhete que o menino Benício, de 7 anos, deixou no carro de Marcelo Martins, em Curitiba:

Milton Ribeiro, ministro da Educação, em entrevista ao Estadão:

Imagem aérea capturada de um vídeo mostra várias baleias encalhadas ao longo da costa da cidade de Strahan, na Tasmania, nesta quarta-feira (23) — Foto: Australian Broadcast Corporation / via AP Photo


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!