Infrações e multas por excesso de velocidade aumentam na pandemia

Infrações e multas por excesso de velocidade aumentam na pandemia

O Dia Nacional do Trânsito, comemorado hoje, acontece este ano no momento em se registra crescimento no número de autuações por excesso de velocidade na capital baiana. No período entre janeiro e agosto deste ano, em comparação ao mesmo período de 2019, houve um aumento 24,7%, segundo a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador). No número total de autuações na capital, o aumento foi de 9,8%.

Para o superintendente da pasta, Fabrizzio Muller, o número maior de multas representa a necessidade da mudança de comportamento no trânsito. “Ainda precisamos passar por esse tipo de situação para mudar o comportamento dos motoristas, e a multa é o instrumento para isso”, disse. Apenas em 2020, o número de autuações entre janeiro e agosto foi de 367.750. Em 2019, no mesmo período, foram aplicadas 331.418 multas.

Excesso de velocidade é a infração que concentrou o maior número de registros, com 236.659 multas aplicadas em 2020, entre janeiro e agosto, contra 178.191, no mesmo período do ano passado. Para o superintendente, o aumento dessas infrações teve relação com a sensação de liberdade, sentida pelos motoristas durante a pandemia. “Desde 2017, as multas vinham caindo. Com a pandemia, quando as ruas estão mais livres, as pessoas acabaram estimuladas a ultrapassar os limites de velocidade”, explicou.

Fabrizzio diz que a mobilidade urbana ainda é uma área que possui longo caminho a ser trilhado. “Mobilidade é sempre um desafio, principalmente em um grande centro urbano como Salvador,que tem hoje mais de um milhão de veículos. Temos consciência disso. Não adianta ter uma cidade toda voltada para carros e não ter outras opções de transporte. Por isso investir em outros modais é tão necessário”, avalia.

Bicicletas têm sido uma opção. “Houve um grande aumento no número de ciclistas, uma parcela por lazer e uma que busca melhorar o deslocamento de casa para o trabalho”, sinalizou Lucas Soares, 41, que é ciclista desde a adolescência e é proprietário de uma loja do ramo de bicicletas.

Conscientização

Mas a segurança continua sendo uma grande preocupação dos ciclistas, embora essas relações no trânsito tenham evoluído, segundo Lucas. “De cinco anos para cá, houve uma mudança radical na postura dos motoristas. Hoje, o motorista de carro já percebe alguém que pedala, que pode ser um parente ou até mesmo ele próprio. Então, já olham o ciclista de outra forma, com mais respeito”, opina.

De acordo com a Transalvador, houve redução de 33,9% no número de infrações de motoristas na rede cicloviária, entre janeiro e agosto deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado, caindo de 1.307 infrações – como estacionar sobre a ciclovia ou transitar com o veículo sobre ela – para 863 em 2020. Em relação ao número de acidentes envolvendo bicicletas, a reduçãofoiaindamaior,42,5%no mesmo período. Em 2020, entre janeiro e agosto, foram registrados 54 acidentes. Em 2019, foram 94.

Para Iulo Lobo, 44, funcionário público e ciclista há sete anos, a melhora nesses números é resultado de uma maior consciência por parte dos motoristas. “Essa coisa do conflito hoje em dia é bem menor, comparado há alguns anos. O motorista tem mais cuidado quando vê um ciclista na pista. Percebeu que o número de ciclistas aumentou ou tem parentes que pedalam ou ele mesmo pedala”, observa.

Saúde no asfalto

No Dia Nacional do Trânsito, intensificar os cuidados com a saúde dos condutores pode ser um caminho para a redução de acidentes nas vias, segundo a Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (Abramet).

O órgão registrou 283.551 acidentes de trânsito em todo o Brasil entre janeiro de 2014 e julho de 2020, em decorrência das condições de saúde do motorista. Entre os fatores desencadeadores de acidentes estão falta de atenção, ingestão de álcool, sonolência do condutor, mal súbito, restrição de visibilidade e ingestão de substâncias psicoativas.

“Antes de viajar, é necessário planejar o trajeto, pensar nos riscos e ter avaliação médica. É bom evitar viajar à noite, de madrugada, que é um período em que se tem mais sono. Outro cuidado importante é não dirigir sob efeito de álcool ou drogas”, diz o presidente da Abramet, Antônio Meira Júnior. Em Salvador houve uma redução de 45% no número de acidentes no trânsito até julho deste ano, se comparado ao mesmo período de 2019. No ano passado, o número registrado foi de 2.386. Já em 2020, foram 1.311 acidentes.

De acordo com Meira Júnior, após Salvador alcançar a meta da redução de acidentes de trânsito, o principal desafio é expandir os resultados para toda a Bahia. “É preciso trazer preceitos de ética, de respeito ao próximo e cidadania para o trânsito. O trânsito é a segunda causa de morte não natural na Bahia. Então, é preciso um respeito maior”, ressaltou. Para o presidente da Abramet, o caminho para isso são as campanhas de conscientização permanente, aumento da fiscalização e redução da impunidade.

*Sob a supervisão da jornalista Rita Conrado

 




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!