‘TRE está assediando colegas’, diz diretor de sindicato sobre greve de servidores

‘TRE está assediando colegas’, diz diretor de sindicato sobre greve de servidores

Os trabalhadores do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) decidiram entrar em greve sanitária e não retornar ao trabalho presencial, que estava marcado para acontecer nesta terça-feira, 8. Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal na Bahia (Sindjufe-BA), Fred Barboza, até o momento não houve abertura para negociação e que o TRE estaria forçando servidores para o retornarem ao trabalho.

“O TRE está, inclusive, assediando colegas para forçá-los a retornar ao trabalho e com isso muitos estão com medo de aderirem a greve por muito tempo”, explica Fred.

A decisão foi tomada em assembleia realizada de forma online, com a presença de trabalhadores da capital e do interior, na última sexta-feira, 4. Além disso, Fred destaca que na próxima sexta, 11, uma nova assembleia será realizada.

Desde o mês de julho os trabalhadores buscam o diálogo com a presidência do Tribunal, mas segundo ele, as propostas enviadas pelos trabalhadores não foram atendidas.

Entenda o caso

Uma portaria, emitida pelo presidente do TRE-BA, Edmilson Jatahy Fonseca Júnior, convocava os servidores ao trabalho presencial no dia 8 deste mês.

Com isso, os servidores avaliaram que não há condições do retorno ao trabalho presencial, como determinado pelo órgão, diante à pandemia do coronavírus.

Conforme Fred, a portaria obriga que cada unidade do TRE possua uma pessoa trabalhando e que aqueles que fazem parte do grupo de risco não precisariam começar nesta semana.

“A portaria coloca indiscriminadamente uma pessoa por cada unidade, independente de precisar ou não, e concentra todo mundo no horário da manhã. Não existe uma avaliação de quem deve voltar. e nem se considera as pessoas que estão junto com outras do grupo de risco ou que têm crianças em idade escolar”, pontua.

“O TRE fecha os olhos à realidade da pandemia, colocando para circular nos prédios da Justiça Eleitoral quem precisa e quem não precisa. Por isso, votamos pela greve sanitária. Não estamos nos recusando a fazer o trabalho, que aliás continuamos a fazer, mas priorizando a defesa da vida dos servidores e dos seus coabitantes”, ressalta o diretor do Sindjufe-BA.

Eleições 2020

Fred também destaca que não deveria ocorrer as eleições municipais de 2020 enquanto a pandemia não fosse resolvida. Para o diretor do sindicato, o Tribunal estaria avaliando apenas as condições de aglomeração dentro das sessões eleitorais, desconsiderando as complexidades de uma votação.

“As eleições não acontecem somente dentro das sessões. As pessoas precisam sair de suas casas, as vezes até ir para outra cidade, para conseguirem votar. É mais complexo do que estão imaginando”, comenta.

O Portal A TARDE entrou em contato com o TRE-BA, mas não obteve resposta até a publicação desta matéria.




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!