Trump volta a pedir que seus eleitores votem duas vezes; prática é ilegal | Mundo

Trump volta a pedir que seus eleitores votem duas vezes; prática é ilegal | Mundo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a incentivar seus eleitores, nesta quinta-feira (3), a tentarem votar duas vezes na eleição presidencial de novembro. Para o republicano, a prática — que é ilegal — seria uma forma de garantir que o voto seja contabilizado.

Trump disse que os cidadãos deveriam primeiramente votar por correspondência, se esta opção for permitida em seus estados. Se sim, o presidente afirma que os eleitores podem comparecer à seção eleitoral e, caso o voto não tenha chegado, eles poderiam votar novamente.

Trump desafia sistema eleitoral e sugere que população vote duas vezes

Trump desafia sistema eleitoral e sugere que população vote duas vezes

Votar duas vezes de forma intencional é ilegal. O Facebook e o Twitter, que estão sob pressão crescente para conter a desinformação antes das eleições, colocaram advertências nas postagens do presidente sobre o assunto.

“Colocamos um aviso de interesse público em dois tuítes sobre este tema, por violarem nossa Política de Integridade Cívica”, informou o Twitter.

“Nosso objetivo é evitar que as pessoas compartilhem recomendações sobre votar duas vezes.”

Casa Branca minimiza declaração

Donald Trump discursa para apoiadores que se aglomeram em frente a avião presidencial na Pensilvânia nesta quinta-feira (3) — Foto: Leah Millis/Reuters

A porta-voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, alegou que a fala de Trump foi tirada de contexto, e que ele desejava apenas que os eleitores verificassem se seu primeiro voto foi registrado. “Ele não aprova o voto ilegal”, afirmou.

Esta foi a mais recente declaração do candidato republicano contra a credibilidade do voto por correspondência, ao qual numerosos eleitores recorrerão, segundo as previsões, devido ao temor gerado pela Covid-19.

Como funciona a eleição presidencial nos Estados Unidos

Como funciona a eleição presidencial nos Estados Unidos

Mesmo com os incessantes questionamentos de Trump contra o voto pelo correio, a prática é muito comum e sem registro de maiores problemas nos Estados Unidos. O próprio Trump utilizará essa opção para votar no estado da Flórida, já que reside na Casa Branca.

O atual presidente americano disse que o aumento do voto por correspondência pode dar margem para uma possível manipulação dos resultados, mesmo que especialistas garantam que não há provas concretas de perigos relacionados a uma fraude.

Segundo as pesquisas, os democratas são muito mais favoráveis a votar pelo correio do que os republicanos.

Autoridades alertam sobre prática ilegal

Caixa de correio do Serviço Postal dos Estados Unidos em Washington, EUA, em 10 de agosto de 2020 — Foto: Leah Millis / Reuters

Trump já havia lançado na quarta-feira a ideia de votar duas vezes na Carolina do Norte. “Se houver o registro de voto não solicitado, envie-os e depois dirija-se para a mesa de votação. Certifique-se de que foi contabilizado. E se não for, vote novamente”, disse.

A ideia do presidente fez com que as autoridades eleitorais da Carolina do Norte declarassem que “é ilegal votar duas vezes em uma eleição”.

“Pedir a alguém que faça isto, também é uma violação da lei da Carolina do Norte”, disse Karen Brinson, diretora da autoridade eleitoral desse estado.

Com uma quantidade de votos por correspondência maior que a habitual, poucos analistas esperam que o resultado seja divulgado ainda na noite da eleição. Trump recusou, por diversas vezes em seus discursos, dizer se aceitará os resultados em caso de derrota.


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!