Coronavírus: UFPel retoma pesquisas sobre a Covid-19

Coronavírus: UFPel retoma pesquisas sobre a Covid-19

Sem apoio do governo, pesquisa da UFPel sobre prevalência do Coronavírus  terá 4° fase com apoio da iniciativa privada

A Universidade Federal de Pelotas (UFPel) retoma, nesta quinta-feira (27), a pesquisa nacional que avalia a prevalência do coronavírus. A quarta etapa da Epicovid19-BR aplicará testes em moradores de 133 municípios do país até domingo (30).



Leia mais:  fato ou fake  do coronavírus


Inicialmente, os trabalhos eram apoiados pelo Ministério da Saúde. Mas, em 21 de julho, a universidade perdeu o financiamento do governo federal. Na época, o reitor da UFPel, Pedro Hallal, considerou a decisão como uma ação política.


Pesquisa sobre prevalência do coronavírus. (Foto: Reprodução/ UFPEL)


A continuidade da pesquisa foi possível após receber o investimento do fundo Todos pela Saúde, criado pelo Itaú Unibanco para apoiar o enfrentamento da Covid-19 no Brasil em diversas frentes, entre elas, o suporte a pesquisa científica. O estudo busca conhecer a proporção de casos de coronavírus na população dos principais centros urbanos do país.

Portanto, além de estimar o percentual de brasileiros infectados, a pesquisa permite determinar o percentual de infecções assintomáticas, avaliar os sintomas mais comumente relatados pelos infectados e analisar a velocidade de disseminação do contágio ao longo do tempo.

Fases dos testes

Em sua primeira fase o percentual da população com anticorpos foi de 1,9%. A segunda fase, 3,1%. E, na terceira, 3,8%. Entretanto, o aumento da primeira para a segunda fase é considerado grande e indica que a proporção de pessoas com anticorpos para covid-19 aumentou 53% no país. Já da segunda para a terceira foi de 23%. Contudo, durante as três fases, a pesquisa entrevistou quase 90 mil pessoas de todo o Brasil.

Entre os principais dados já encontrados com os dados deste grupo, estão:

  • Indígenas têm 5 vezes mais risco de desenvolver a Covid-19 devido às condições socioeconômicas
  • Cerca de 90% das pessoas desenvolvem sintomas, contrariando a afirmação de que a maioria dos infectados seriam assintomáticos
  • Crianças são infectadas pelo coronavírus tanto quanto os adultos
  • Para cada caso registrado, existem cerca de seis casos não notificados
  • De cada cem infectados, um vai a óbito

Todavia, os dados da quarta etapa devem ser divulgados na próxima semana.

(Foto em destaque: Teste de coronavírus. Reprodução/JC)

Por Beatriz Ferrão



Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!