Diminuição da ansiedade com estratégias de planejamento é discutida no A TARDE Conecta

Diminuição da ansiedade com estratégias de planejamento é discutida no A TARDE Conecta

A redução da ansiedade com ferramentas de planejamento e organização foi o tema debatido na mesa redonda do A TARDE Conecta, nesta segunda-feira, 27, no YouTube (atardetvvideos) e Facebook (A Tarde Online) do Grupo A TARDE. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil tem o maior número de pessoas ansiosas do mundo, cerca de 18,6 milhões de brasileiros, 9,3% da população.

Diante deste cenário, no debate mediado pelo jornalista Jefferson Beltrão, os convidados Claudio Cardoso, consultor de comunicação estratégica, e Jaime Gama, profissional de TI, professor e escritor, destacaram como ferramentas palpáveis, a exemplo do uso de postiches de papel, contribuições para minimizar o desafio da ansiedade e alavancar projetos.

Lápis e papel

Para Claudio Cardoso, o primeiro passo para o planejamento é escrever. “O primeiro passo é escrever. Escrever é um exercício espetacular. Você projeta uma ideia e consegue olhar quase como uma terceira pessoa. Por exemplo, você pode colocar suas tarefas no postiche, usando cores para diferenciar cada uma”, acrescentou.

Ainda segundo Cardoso, com o lápis e um papel, é possível adotar uma estratégia de planejamento e organização de origem japonesa. “Os japoneses inventaram um esquema de quatro colunas. Pegue o papel, divida em quatro colunas. Na primeira, coloca aquilo que você pretende fazer. Na segunda, escreva o planejamento. Na terceira, a execução da ideia. Na quarta, coloque como a ideia foi feita”, explicou.

Meta

Após a explicação de Cardoso, Jefferson Beltrão trouxe para o debate o desafio da elaboração de ações de planejamento em meio ao momento de maior ansiedade, quando é possível confundir até a noção de meta. “A ideia de meta está relacionada com com início, meio e fim. Mas como é possível trabalhar isso quando existe uma população que sofre com pressões, angústias e ansiedades?”, questionou Beltrão.

De acordo com Jaime Gama, as pessoas sofrem uma pressão na vida para executar direto uma ideia, pulando a etapa de planejamento e afetando diretamente a visão da meta do projeto.

“O brasileiro não tem a cultura de planejamento. A gente vai fazendo. Quando isso acontece, a gente acaba se perdendo da meta. A disciplina, o foco e o planejamento são fundamentais. E aí vai algumas ferramentas: tente criar uma boa agenda, mapear o tempo de cada coisa ao longo do dia. Isso vale para criação de um negócio ou a organização das atividades do dia a dia”, explicou Gama.

Foco

No momento de vida marcado por estímulos externos, a exemplo do celular e do computador, Jefferson Beltrão lançou o debate sobre quais ferramentas podem contribuir para o foco e a concentração, principalmente para as pessoas que sofrem com o transtorno da ansiedade.

“O grande erro é querer focar direto, de imediato. Antes de focar, faça um exercício: desenvolva a sua intenção. Ou seja, estou mesmo conectado com o que pretendo fazer? Após fazer a intenção, prepare a sua atenção, depois a sua concentração. Se você pular essas etapas e partir para o foco, pode ficar cego para uma coisa ou outra que está acontecendo ao seu redor”, disse Gama.

Claudio Cardoso acrescenta que quando a pessoa tem uma tarefa, é importante concentrar nela, iniciar o projeto. “Principalmente para quem tem ansiedade, o importante é planejar e começar. Além disso, não comece o planejamento do começo para o final. Comece da data final para o começo. É do futuro para cá. Isso ajuda muito na organização”, concluiu.




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!