Bruno Gagliasso dá espaço a Elza Soares no Instagram para falar sobre racismo

Bruno Gagliasso dá espaço a Elza Soares no Instagram para falar sobre racismo

A cantora aproveitou para falar sobre racismo com 18 milhões de pessoas

Sem dúvida, a temática do racismo tem tomado conta da internet nos últimos meses. Por isso, neste sábado (25), a cantora Elza Soares (90), assumiu o Instagram do ator Bruno Gagliasso (38), a fim de debater sobre o assunto e atingir um público ainda maior, já que o ator acumula mais de 18 milhões de seguidores na rede social. A ação recebeu o nome de “Invasão Negão Negra”.



Ademais, nesta data, comemora-se o Dia Internacional da Mulher Negra Americana e Caribenha, ou seja, Elza Soares escolheu um dia oportuno para falar sobre racismo. A princípio, a cantora explicou que a iniciativa não se trata de uma invasão. “A palavra “invasão” não expressa tão bem essa ação que tem uma importância enorme para conscientizar as pessoas sobre, o que é racismo estrutural. Eu prefiro chamar de compartilhar experiências”.



Elza Soares focou no tema racismo estrutural. (Foto: Reprodução/Daryan Dornelles)


Em seguida, Elza contou que recebeu o convite de Bruno Gagliasso e expressou o carinho que sente pelo ator e pela família dele. “Eu recebi o convite do @brunogagliasso para assumir suas redes junto com meu parceiro de trabalho @flaviorenegado. Vou confessar, eu sou A.P.A.I.X.O.N.A.D.A pelo Bruno, pela Giovanna sua esposa e por seus filhos linndoxs, a Titi, o Bless e o Zyan, o caçula da família”.

A mensagem foi publicada juntamente com um vídeo em que Elza Soares conta um pouco da sua história. “Escutem o que uma mulher vivida como eu tem pra falar, pare e escute! Pode ser que você consiga imaginar a dor e a delícia de ser negra, de ser negro“, pediu.

Além disso, a cantora convidou os seguidores para sua Live especial de aniversário, que será realizada em seu canal do YouTube às 21h.

Bruno Gagliasso e colaborador de Elza Soares também fizeram posts sobre a ação

Decerto, a parceria animou Bruno Gagliasso e Fávio Renegado. (Fotos: Reprodução/Instagram/Folha de S.Paulo)


Além de Elza Soares, o seu colaborador, Flávio Renegado, assumiu o Instagram de Bruno Gagliasso. Flávio fez um post a fim de escrever sobre racismo estrutural. “No meu ponto de vista o racismo estrutural é a face mais cruel dessa doença. No Brasil criou-se um hábito cultural de que o negro só pode ocupar o lugar de vítima ou de marginal. Para os que ousam pleitear a prosperidade e a auto-estima a cobrança é cruel. Por isso o meu máximo respeito a tod@s que ousaram abrir esse caminho”.

Leia mais: Kanye West tem evitado contato com sua mulher, Kim Kardashian

Além disso, o colaborador de Elza Soares fez uma Live com a ex-BBB Thelma Assis, para ressaltar o tema do racismo estrutural.

Anteriormente, na sexta-feira (24), Bruno Gagliasso postou um vídeo explicando sobre a ação e revelou que estava segurando a novidade há dias. “Senhoras e senhores, teremos a rainha Elza Soares! Isso mesmo! Elza Soares!!! E porque eu to dizendo que não é uma ocupação? Ora, porque o Brasil é todo dela! Que honra tê-la conosco durante todo o sábado compartilhando suas ideias, sua rotina, suas músicas”.

Ademais, Bruno ressaltou a participação de Flávio Renegado e agradeceu à Elza Soares pela parceria. “Tudo isso com a participação especialíssima de Flavio Renegado. Eles estão lançando uma parceria incrível e a gente vai saber cada detalhe desse novo trabalho tão poderoso. Obrigado, Rainha Elza, por esse momento!”.

Elza Soares afirma “Vim do planeta fome, continuo no planeta fome”

Sem dúvida, a história de Elza Soares é marcada pela luta contra o racismo. (Foto: Reprodução/Todos os Negros do Mundo)


Na última quarta-feira (22), Elza Soares completou 90 anos de idade e em entrevista ao G1, falou sobre racismo e desigualdade. “Vim do planeta fome, continuo no planeta fome. É um país desigual, é uma coisa horrível, a gente vive nisso”.

Além disso, Elza Soares criticou a baixa manifestação dos brasileiros acerca do caso de George Floyd, homem negro que morreu asfixiado por um policial nos Estados Unidos. “O povo aqui não está nem aí. É mais um que vai embora. Lá não, eles protestam, é bonito, é forte. Acho que lá está certo. Tem que gritar mesmo tem, tem que falar, tem que botar a boca no trombone, tem que gritar”.

Ademais, Elza Soares afirmou que a pandemia proporciona o ato de olhar para próximo. “Tem que sair melhor, para pior não adiantava nada então. Sofrer tudo outra vez? Não. Acredito na sociedade. É daqui para melhor”.

Nesta sexta-feira, a cantora recebeu uma homenagem no “Encontro com Fátima Bernardes” e se emocionou ao recordar sua trajetória. Elza nasceu na zona norte do Rio de Janeiro e afirmou que a música a levou para diversos lugares.

Por fim, a artista comentou sobre ter sido homenageada pela escola de samba, Mocidade no carnaval deste ano. “Foi um susto. Lindo. Foi muito emocionado. Eu não conseguia acreditar que estava sendo homenageada. Eu nasci em Padre Miguel, é uma paixão”.

Por: Adelmo Júnior

(Foto em destaque: Bruno Gagliasso e Elza Soares. Reprodução/Instagram/ Jornal Meia Hora)



Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!