Justiça espanhola investiga espionagem a ex-presidente do Equador Rafael Correa | Mundo

Justiça espanhola investiga espionagem a ex-presidente do Equador Rafael Correa | Mundo

Um tribunal da Espanha admitiu investigar se o ex-presidente do Equador, Rafael Correa, foi vítima de espionagem por uma empresa espanhola também denunciada pelo fundador do WikiLeaks, Julian Assange, informaram fontes judiciais à AFP na sexta-feira (24).

O juiz do Tribunal Nacional de Madri, que está estudando a ação de Assange, admitiu em junho uma queixa do ex-presidente equatoriano contra a empresa Undercover Global e seu gerente David Morales Guillén, segundo o carro consultado pela AFP.

Na denúncia, Correa acusa a empresa, que lhe prestou serviços de segurança até 2019, de realizar “acompanhamentos e fotografias” de suas reuniões com o advogado de Assange, o espanhol Baltasar Garzón, e de preparar relatórios em inglês sobre outras reuniões realizadas na Bélgica.

O ex-presidente também acusa a Undercover Global de obter os dispositivos telefônicos de suas filhas, “acessando seus chats, conversas telefônicas e imagens” e de capturar “fotografias íntimas” de uma delas, aponta o processo.

Ex-presidente do Equador Rafael Correa se defende de acusações

Ex-presidente do Equador Rafael Correa se defende de acusações

Para o juiz instrutor, José de la Mata, esses fatos “podem constituir crimes contra a privacidade”, de modo que “o processo é admissível pela denúncia contra David Morales Guillén e Undercover Global”.

Na ordem de 22 de junho, o magistrado estipula a abertura de um caso separado, no qual ele pede que convoque Correa, sua esposa e filhas para testemunhar por videoconferência.

A Undercover Global está sob o foco da justiça espanhola em uma ação de Assange por suposta espionagem.

A empresa era responsável pela segurança da embaixada do Equador em Londres, onde o fundador do WikiLeaks ficou asilado de 2012 a 2019.

Assange diz que a empresa interceptou suas comunicações na embaixada e as encaminhou às autoridades dos Estados Unidos, cujo departamento de Justiça quer julgá-lo pelo vazamento de milhares de documentos militares e diplomáticos confidenciais em 2010.


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!