Médico suspeito de tentativa de feminicídio disse que companheira se automedicava

Médico suspeito de tentativa de feminicídio disse que companheira se automedicava

O médico Rodolfo Cordeiro Lucas, suspeito de jogar sua companheira do quinto andar de um prédio em Salvador, afirmou nesta terça-feira, 21, em depoimento concedido à Polícia Civil, que a vítima Sáttia Lorena Patrocínio, de 27 anos, tinha ideias suicidas, “tomava remédio controlado e se automedicava”. A informação foi obtida pelo site G1 Bahia. A família da vítima nega a versão apresentada por Rodolfo.

O crime ocorreu na madrugada de segunda-feira, 20, em um edifício no bairro Jardim Armação. O médico foi preso em flagrante e teve sua prisão preventiva decretada pela polícia nesta terça-feira por tentativa de feminicídio. Sáttia está internada em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE).

De acordo com a versão apresentado por Rodolfo à Delegação Especial de Atendimento à Mulher (Deam), a situação teria ocorrido após uma discussão do casal. A vítima foi para o quarto do apartamento e ficou “pendurada do lado de fora da janela, segurando com as mãos na borda da janela”. O médico também disse que tentou resgatá-la, mas que, “infelizmente não conseguiu segurar”.

Questionado se ele teria jogado a companheira pela janela, Rodolfo afirmou que “nunca faria isso”. Ainda no depoimento, ele afirmou que Sáttia tinha “ideações suicidas”, fazia terapia e tomava medicações prescritas por ela mesma. “Ela se medicava, se dopava”, disse durante o depoimento.

Segundo o médico, o casal tinha discussões por conta dos surtos de ciúmes da vítima e que, durante as brigas, ela chegava a agredi-lo fisicamente com mordidas, socos, tapas e ameaçava se jogar da janela e da varanda. Rodolfo também disse que nunca conversou com a família de Sáttia sobre a depressão por conta de um pedido da própria companheira.




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!