Paris abre ‘praias’ no rio Sena com medidas extras de proteção | Mundo

Paris abre ‘praias’ no rio Sena com medidas extras de proteção | Mundo

Começou neste sábado (18) a 19ª edição do projeto Paris Plages, que transforma a beira do rio Sena em uma espécie de praia, com direito a mergulhos e banho de sol. Esse ano, porém, o evento foi adaptado às medidas de proteção exigidas para conter a epidemia de Covid-19.

Nesta manhã ensolarada, o parisiense Bruno Francilien, 55 anos, e alguns turistas usando máscaras foram os primeiros a chegar ao Quai do Hôtel de Ville, sede da prefeitura da capital francesa, onde algumas bandeiras indicavam a abertura de mais uma edição do Paris Plages.

“É ótimo que abra, se todo mundo prestar atenção”, disse ele pronto para aproveitar “um verão especial” em tempos de coronavírus. Mais de cinquenta eventos culturais, recreativos e esportivos estão previstos para essa edição, ao longo das margens do rio Sena e na piscina de la Villette.

Pessoas passam por leves jatos de água no Bassin de la Villette neste sábado (18), 1º dia da 19ª edição do evento de verão “Paris-Plages” (praias de Paris) — Foto: Geoffroy Van Der Hasselt / AFP

Bruno caminha com um passo determinado ao lado da filha de 8 anos. “Decidimos esta manhã, no último minuto, mas achamos bom começar o dia com um concerto de música clássica na água”, explica esse pai que mora em Val de Marne. “É ótimo, para os turistas parisienses, que seja inaugurado este ano, apesar da crise da saúde”, completa ele, lamentando que “que poucas pessoas usassem máscara”.


Pierre, 60 anos, sem máscara, é um dos “frequentadores” das aulas de Taï Chi no Paris Plages. “Há 4 anos, venho todos os dias, assim que abre e durante todo o verão, praticar minhas duas horas de esporte, é ótimo”, diz o parisiense. “O medo do coronavírus? Temos o cuidado, inclusive durante o trajeto até aqui, de manter a distância necessária, tudo está indo bem”, sorri.

Um pouco mais adiante, uma equipe de dez “atendentes de praia” monta as últimas espreguiçadeiras e guarda-sóis. Uma mulher, na casa dos cinquenta anos, grita para eles: “são as mesmas pessoas que estão nas espreguiçadeiras, sabia?” “Ah, sim senhora, mas o primeiro a chegar é o primeiro a ser servido!”, responde um jovem atendente de praia, de boné vermelho na cabeça.

Se alguns chegaram logo na abertura para aproveitar aulas ou concertos, outros “caíram nas praias de Paris completamente por acaso”. “Nós passeávamos por Paris, o que ainda é mais divertido de fazer descendo pelos cais. E com o Paris Plages é muito agradável”, alegravam-se Isabelle e Jean-Edouard Lillois.

“É um verão especial porque muitos parisienses não vão sair de férias. Também teremos muito menos turistas este ano, e nosso desejo era permitir para quem está na cidade, ou quem vem visitar, que possa tirar proveito da cidade, de suas áreas ao ar livre”, disse a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, durante a inauguração do evento. Ela acrescentou que é necessário “adaptar o protocolo de saúde à situação da epidemia, porque devemos permanecer extremamente cuidadosos”.

“Eu moro aqui ao lado, virei, como todo ano, para fazer regularmente uma excursão às praias de Paris. Porém, se vejo que há muita gente, não vou me colocar em perigo”, disse Natal , 65 anos, com a máscara de pano sobre o rosto.

* Com informações da AFP


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!