Uso da máscara provoca batalhas políticas e legais nos EUA | Mundo

Uso da máscara provoca batalhas políticas e legais nos EUA | Mundo

A epidemia de Covid-19 nos Estados Unidos se agrava em um ritmo exponencial, e mesmo assim governadores de alguns dos estados mais afetados resistem a determinar o uso obrigatório da máscara de proteção.

Autoridades sanitárias do país reportaram quase 78 mil novos casos na quinta-feira (16), segundo a base de dados administrada pela Universidade Johns Hopkins, centro de referência no tema. O número de pessoas internadas por causa do coronavírus encontra-se no nível mais alto desde 23 de abril, segundo o Projeto de Acompanhamento Covid.

Mulher usa máscara e escudo facial no metrô de Nova York na quinta-feira (16) — Foto: Johannes Eisele/AFP

A taxa de mortalidade, que caiu em maio e junho, aumenta desde a semana passada. A Flórida é o novo epicentro e registrou mais de 11 mil novos casos e 128 mortes apenas hoje. Ao mesmo tempo, a pandemia se estende a novas partes do país, avançando pelos estados de Idaho, Tennessee e Mississippi.

Kellyanne Conway, conselheira do presidente Donald Trump, disse ontem que o motivo da queda do número de casos foi que o presidente já não dava informações diárias sobre a pandemia, e sugeriu que isto poderia ser retomado.

“Os números de aprovação do presidente eram muito mais altos quando ele estava ali informando a todos diariamente sobre o coronavírus. Acho que o presidente deveria estar fazendo isso.”

As sessões informativas quase diárias do grupo de trabalho de Trump foram interrompidas no fim de abril, em meio a críticas crescentes às suas informações exageradas e inexatas sobre a resposta da saúde pública e à sua inclinação a recomendar tratamentos sem aval científico.

“Realmente, temos que nos reorganizar, fazer uma pausa”, disse Anthony Fauci, principal especialista em doenças infecciosas dos Estados Unidos.

Anthony Fauci, médico conselheiro da Casa Branca, usa máscara ao chegar para dar declarações ao Congresso dos EUA nesta terça-feira (30) — Foto: Al Drago/Pool via Reuters

Os estados foram confinados por áreas e vários deles omitiram pontos de controle epidemiológicos importantes antes de emitirem e divulgarem suas ordens para que a população permanecesse em casa, lembrou Fauci. Posteriormente, muitos foram obrigados a voltar atrás em seus planos de retomar as atividades, fechando bares, academias, cinemas, igrejas e lojas.

Prefeitos reagiram determinando o uso obrigatório da máscara de proteção. Mas na Geórgia, o governador Brian Kemp, republicano, recorreu à Justiça contra a prefeita da capital, Atlanta, por ter determinado a proteção facial. Sua queixa busca revogar não apenas a ordem de uso obrigatório da máscara, mas também o retorno a um confinamento mais estrito imposto pela prefeita Keisha Bottoms, democrata.

Joe Biden em evento público em 30 de junho de 2020 — Foto: Patrick Semansky/AP

Keisha, que deseja se tornar companheira de chapa de Joe Biden contra Donald Trump nas eleições de novembro, afirmou que a decisão de Kemp foi uma represália política.

“Não acredito que tenha sido casualidade a queixa ter sido apresentada um dia depois de Trump ter visitado Atlanta e eu ter alertado que ele não estava usando máscara no Aeroporto Internacional Hartsfield Jackson e que isso violava a lei estadual”, disse à rede de TV americana CNN.

Conflitos semelhantes acontecem em outras partes do país. No conservador Texas, o governador Greg Abbott somente ordenou o uso de máscara em todo o estado após observar um aumento do número de casos, mas os comitês republicanos locais aprovaram moções de censura contra ele. Os líderes democratas de Houston, maior cidade do Texas, querem retomar o confinamento, mas o governador se nega a aceitar esta medida.

Registros de casos diários nos EUA batem recorde pela 6ª vez no mês

Registros de casos diários nos EUA batem recorde pela 6ª vez no mês


Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!