Sanção do selo Made in Bahia deve consolidar qualidade dos produtos feitos no Estado

Sanção do selo Made in Bahia deve consolidar qualidade dos produtos feitos no Estado

Valorizar produtos fabricados em solo baiano, bem como atestar a qualidade do que é fabricado no Estado. É o que o Projeto de Lei nº 22.862/2018, do líder do PSD na Assembleia Legislativa, deputado Alex da Piatã, deve viabilizar. A inserção do selo “Made In Bahia” vai ser obrigatória em todos os produtos fabricados no âmbito estadual.

Antes da aprovação da matéria, que esteve em tramitação na Casa desde 2018, o líder do PSD articulou com as bancadas e a frente parlamentar do setor produtivo. “Em muitas ocasiões alguns baianos não conhecem os produtos produzidos na própria terra. Isso vai valorizar e muito o que é feito aqui no solo baiano”, disse.

O parlamentar relacionou a novidade com o que aconteceu na China, na década de 70, quando o país se tornou um grande exportador de produtos de baixo custo. “Quem não lembra do Made In China, que há vinte anos atrás foi colocado em todos os produtos produzidos por lá?”, perguntou.

Alex disse estar otimista quanto a sanção do projeto e, caso ocorra, deve avaliar com o governador a condição para definir como e quais os produtos que vão receber a marca. “Vamos conversar com o governador, caso o projeto seja sancionado, para saber as formas de merecimento do selo para os produtos de nosso estado”, reiterou. Se a proposta for sancionada, as empresas vão ter até um ano para se regularizarem.

Grupo Made In Bahia

O empresário Carlos Falcão, fundador do grupo empresarial Business Bahia e que lidera 250 gestores acredita que a campanha do grupo deu mais vida e visibilidade ao projeto. “A matéria teve uma tramitação muito rápida nos últimos 30 dias. Acho que a aprovação representa uma vitória significativa para a campanha e um reconhecimento do excelente trabalho de conscientização que todos envolvidos estão desenvolvendo”, afirmou.

Carlos Falcão espera que o “Made in Bahia” se transforme em um Programa de Estado, onde as empresas Made in Bahia, tenham, de fato, vantagens competitivas. O empresário diz que a ressalva é em relação ao termo “obrigatoriedade” e que a adesão ao selo deveria ser uma conquista da empresa, que com ele vai ser reconhecida em todo Estado. “Esperamos que o Governador sancione e que na regulamentação todas essas questões sejam ajustadas. Nós, junto com a ACB, vamos estar acompanhando para que nem o selo nem os objetivos da campanha sejam desfigurados, já que realmente foi um importante primeiro passo, faltando ainda ajustes, que certamente virão”, finalizou.

 




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!