Caso não aceite ser vice de Bruno Reis, Geraldo Júnior deve indicar nome do Republicanos

Caso não aceite ser vice de Bruno Reis, Geraldo Júnior deve indicar nome do Republicanos

Durante participação no programa Isso é Bahia, da rádio A TARDE FM, nesta quarta-feira, 8, o presidente da Câmara Municipal de Salvador (CMS), Geraldo Júnior (MDB), revelou que, caso deseje permanecer na Casa Legislativa para disputar o quarto mandato como vereador, vai indicar um nome do partido Republicanos para ocupar a vaga de vice na chapa do atual secretário de Obra de Salvador, Bruno Reis.

“Recebi a outorga do comando do bloco partidário que une o Solidariedade, PSC, PTB e MDB. Há 15 dias, tive uma conversa excelente com o Republicanos. Existem especulações dizendo que teria sido tirada a minha condição de preferência da escolha. Estive com o prefeito ACM Neto e hoje estarei com o vice-prefeito Bruno Reis, na Câmara, e eles reiteraram a preferencialidade do amigo a quem vos fala. Falei ontem, vou falar hoje, estou definindo esse processo e até agosto espero estabelecer essa definição”, explica Geraldo Júnior. 

O presidente da Câmara Municipal também ressalta que, com a prorrogação da data das eleições, que serão realizadas nos dias 15 e 29 de novembro, ele também terá mais tempo para tomar a decisão. “Vou consultar a sociedade civil e meus eleitores. Quero deixar bem claro, na hipótese de eu não escolher compor a chapa e renovar meu mandato, a preferência será do partido Republicanos, deixo isso muito claro”, ressalta.

Defensor da retomada das atividades econômicas em Salvador, Geraldo Júnior têm dialogado e recebido demanda de vários setores empresariais da cidade. Ele encabeçou a luta pelo retorno das atividades das concessionárias e lojas de decorações, chanceladas pelo prefeito ACM Neto no mês passado.

Na última segunda, 6, o presidente da Câmara recebeu um grupo que representa mais de dois mil empresários da capital baiana. O vereador avalia que o protocolo de segurança estabelecido pela prefeitura e pelo Governo do Estado, ao não estabelecer datas para retomada, não atende às expectativas das atividades empresariais, dos comerciantes, mas pondera que é ‘complicado cuidar da vida, estabelecer critérios de isolamento social, confinamento para conter o novo coronavírus’.

Geraldo destaca o papel da CMS na intermediação dos diálogos entre o executivo municipal e os setores empresariais. Ele lembra que, além do retorno de concessionárias e lojas de decoração, foram incluidos açougues como atividade essencial na pandemia, diversos projetos aprovados para o combate ao novo coronavírus e a formação de comissões temáticas para analisar ações para pandemia e sobre problemas da cidade.

“Entendo as limitações que ocorrem para manter a vida e a economia. É um paradigma, o cuidado com a vida, ocupação de índices de modo a evitar o colapso no sistema de Saúde, mas temos que olhar e ter atenção especial para os empresários. Não há como manter a vida se não mantiver a economia. Precisamos manter a economia, o emprego, a circulação do dinheiro em Salvador e no estado da Bahia, e cuidar das pessoas. É preciso estabelecer protocolos objetivos. Esperamos que Rui e Neto possam sinalizar datas, nos próximos dias, para esse processo. Deus sabe de todas coisas, eu acredito que haverá uma diminuição – da ocupação de leitos de UTI como estabelece o protocolo”, completa.




Compartilhe
Comente

Dum Leão

dumleao

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!