Os focos de contágio da Covid-19 são locais fechados

Os focos de contágio da Covid-19 são locais fechados

Os focos de transmissão é menos em ambientes abertos

O principal inimigo dos refriados e vírus, não são os graus marcados, e sim locais fechados que procuramos no inverno. Portanto, com os cômodos fechados e pouco ventilados são o ambiente perfeito para o vírus.



Isso também vale para a covid-19, pois o ar livre é um de seus principais inimigos, como já foi descoberto sobre o SARS-CoV-2. Muitos epidemiologistas falam de um crescimento da epidemia no outono, contudo, isso pode ocorrer em qualquer época.


Porém, no verão é menos previsível, assim, como ficar resfriado. A probabilidade era do vírus não ter força em países tropicais, mas o vírus manteve seu contágio mesmo nesses países.

“O velho ditado de abrir as janelas para que corra o ar é o melhor para [lutar contra] o vírus”, diz Antoni Trilla, epidemiologista e assessor do comitê científico do Governo espanhol.


Os focos

Especialistas reocmendos locais ao ar livre ou ventilados. (Foto: Reprodução/ Pau Barrena/ AFP)


Em lugares fechados, prossegue, é mais provável que se concentrem partículas em suspensão e que elas sejam inaladas. “Se mantivermos distâncias ao ar livre, a possibilidade de contágio é muito, muito baixa”, finiza Trilla.

Por mais que se saia à rua o menos possível, o risco do contágio ainda se corre. Existe a probabilidade, de encontrar com uma pessoa na rua que esteja infectada, assim, inalar gotículas com o vírus e se contaminar.

Leia mais: Alerta de falhas no maior estudo sobre cloroquina

No entanto, a possibilidade de que isto aconteça é remota. É provável que a transmissão venha acontecer quanto mais tempo estiver em contado com um doente.

Estudos sobre locais de contágio

Após estudos feitos sobre locais de contágio, indicam que a maior parte acontecem em lugares fechados.

Gwen Knight, do Centro de Modelos Matemáticos para Doenças Infecciosas, reuniu diversos estudos científicos (além de outro tipo de publicações). Como informa o divulgador Luis Jiménez, dos 188 focos analisados apenas 7 (ou 3,7%) tinham origem numa atividade realizada exclusivamente ao ar livre. “Do ponto de vista do número de infecções confirmadas, os casos externos se relacionam com 150, enquanto os casos ocorridos internamente se relacionam com mais de 9.000”, aponta Jiménez após analisar os dados.

Em uma recopilação feita por Gwen Knight sobre os focos de contágio, apenas dois respondem com segurança a espaços abertos como afirma o divulgador Luis Jiménez: “Visto que se refere ao mercado de Wuhan, o da possível origem do vírus (com 41 infecções), e o outro é o de dois amigos corredores, em que agiram circunstâncias extras que aumentaram o risco: proximidade durante tempo extenso, acompanhada de conversa e/ou respiração intensa”.

No total, 43 casos com contágio em ambientes exteriores entre quase 10.000 confirmados.

Foi feita na China, a maior investigação sobre focos de contágio, ao todo registraram mais de 7.000 casos de infecções. Jiménez conta que: “A maioria ocorreu dentro de casa e no transporte. Foi detectado somente um caso de contágio em ambientes exteriores, com duas pessoas envolvidas, que se encontraram na rua e conversaram durante certo tempo”.

Por: Nicolly Verly

(Foto Destaque: Ar livre é um aliado contra Covid-19. Reprodução/ Ronaldo Bernardi/ Agência RBS)



Compartilhe
Comente

Siga-me no Instagram @dumleao

Instagram has returned invalid data.

dumleao

Instagram

Instagram has returned invalid data.

Acesse e confira produtos incríveis…
Participe desse experiência.
3Cs – Confira! Compre! Compartilhe!